Notícia

Empreende Fadep oportuniza possibilidades de novos negócios aos acadêmicos

Publicado dia 01/12/2017 às 02:06

De forma objetiva, empreender pode significar criar novos negócios ou promover mudanças que envolvam a inovação. E esse é um conceito que norteia a formação dos acadêmicos da Fadep (Faculdade de Pato Branco) desde 2013, quando a Instituição deu início ao seu projeto de educação empreendedora realizado em parceria com o Sebrae. Há quatro anos, essa iniciativa dissemina a educação empreendedora e promove o empreendedorismo como disciplina em todos os cursos de formação da Faculdade.

Reflexo de tamanho engajamento está na Incubadora Municipal de Pato Branco. Isso porque dezenas de projetos criados pelos acadêmicos da Fadep encontram-se em estágio de desenvolvimento no local. Originários da Empreende Fadep – Feira de Empreendedorismo da Faculdade, os projetos vão desde o aperfeiçoamento de protótipos ligados a área de tecnologia até mesmo produtos e/ou serviços voltados à área social.

Na última terça-feira (28), em sua 4ª edição, a Empreende Fadep apresentou 34 novos projetos. Prontos para brilhar, eles foram desenvolvidos por acadêmicos dos cursos de Administração, Enfermagem, Fisioterapia, Educação Física, Psicologia e Engenharia Elétrica, e foram apresentados para toda a comunidade interna e externa no ginásio de esportes da Instituição.

Pensados em diversas áreas do conhecimento e criados a partir da multidisciplinaridade nos cursos, os projetos foram idealizados ainda no início do ano como conta a professora do curso de Fisioterapia, Sandra Martins. “A proposta da elaboração dos projetos da Empreende inicia-se a partir do primeiro dia de aula e da percepção dos acadêmicos em relação às necessidades identificadas na sociedade e na possibilidade de novos negócios a partir disso”, afirma.

Projetos atentos às necessidades

Muito mais do que uma forma de aprendizado, a Empreende possibilita aos alunos uma oportunidade de desenvolver projetos que atendam as necessidades da sociedade. Esse é o caso do trabalho desenvolvido pela equipe das acadêmicas Angela Diesel e Saguy Detoni. Elas criaram um novo modelo de negócio: uma clínica totalmente adaptada e voltada para a população idosa.

“Observamos as clínicas em geral e todas possuem espaços específicos para pediatria, cardiologia, mas não para o idoso. A partir disso executamos o projeto de uma clínica de fisioterapia adaptada para os idosos, com estrutura e equipamentos próprios para essas pessoas”, conta Angela. O projeto incentivou também a pesquisa interdisciplinar. “Isso porque precisamos nos familiarizar com conhecimentos nas áreas de engenharia e arquitetura, desde o tamanho de portas até a disposição dos ambientes”, acrescentou Saguy.

Do curso de Psicologia, as acadêmicas do 6º período desenvolveram um projeto voltado para a área social. Depois de muita pesquisa e trabalho ao longo de 2017 com o Lar dos Idosos de Pato Branco, elas identificaram que eles sentiam-se muito sozinhos. A partir desse ponto, desenvolveram dois projetos: Idoso Feliz e Multiplique.

“Como eles se sentiam sozinhos, buscamos inseri-los novamente na rotina da sociedade. Por isso elaboramos um cronograma e os levamos para diversos passeios no cinema, largo da liberdade, clube pinheiros, entre outros locais”, explicou a acadêmica Lhais Silveira. De acordo com ela, o projeto, além de permitir uma experiência enriquecedora, oportunizou reflexões. “Vemos o quanto é fundamental produzirmos ações e iniciativas que busquem melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, seja físico ou mental”.

Empreendedorismo é o caminho

Convidado como um dos avaliadores dos trabalhos da Empreende, o Chefe da Divisão de Desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação do Município de Pato Branco, Márcio Loss, destacou a consistência dos projetos apresentados e lembrou a relevância de uma feira como essa no meio acadêmico. “O empreendedorismo é fundamental, pois desperta novos caminhos e o espírito empreendedor para os alunos e futuros profissionais, dando-lhes uma oportunidade de planejar a vida pós-faculdade no momento em que buscam a viabilidade de um novo negócio”.

Um novo olhar sobre a educação

Diretora acadêmica da Fadep, a professora Ornella Bertuol pontua que a Empreende nasceu a partir da percepção de que não bastava somente preparar o aluno, mas era preciso capacitá-lo de uma forma mais ampla para um mercado de trabalho em constante evolução. “Temos que formar profissionais que pensem além, que tenham um olhar diferenciado, de futuro, e que consigam, até mesmo em períodos de crise, perceber oportunidades. A educação empreendedora é fundamental nesse sentido, pois desenvolve essa mentalidade crítica e reflexiva”.

De acordo com a professora, a parceria da Feira com entidades como o Sebrae, Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Associação Comercial e Núcleo Jovem do Empresário, oportuniza aos acadêmicos pensar como empreendedores. “Além da criação de novos negócios, a educação empreendedora é trabalhada como uma mentalidade, uma mudança de atitude dentro do cenário econômico atual”.

Apresentados de forma didática para docentes da Faculdade e profissionais com ampla experiência na área, como do Sebrae e da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, cada projeto foi avaliado a partir de diversos aspectos, entre eles sua viabilidade. A partir disso, é feita uma pré-seleção, uma nova avaliação, e os melhores projetos são encaminhados para a Incubadora Municipal. Isso oportunizará que as ideias desenvolvidas pelos acadêmicos da Fadep possam virar novos negócios.  


Assessoria de Comunicação

Matéria e fotos: Priscila Corteze (DRT - PR/ 9308)